PANC: Brasil tem mais de 5 mil plantas comestíveis (Jornal A Voz da Serra)

Boa Tarde,

Segue uma sugestão de leitura,

Reportagem interessante sobre as PANCS (Plantas Alimentícias Não-Convencionais), postada no dia 17/02/2017, no Jornal A Voz da Serra. Imagens e texto retirados da reportagem.

Link da reportagem: clique aqui

valdelyr-knupp_0 Valdely Kinupp (Foto: Jornal A Voz da Serra)

Abraços,
Sara

Anúncios

Cores e formas no bioma pampa: gramíneas ornamentais nativas (Embrapa, 2015)

Boa Tarde,

Divulgamos aqui mais uma publicação bem interessante que chegou até nós: Cores e formas no bioma pampa: gramíneas ornamentais nativas, de Marene Marchi e Rosa Lía Barbieri (editoras técnicas), Brasília, DF: Embrapa, 2015.

Para acessar: clique aqui

Bioma-Pampa

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Abraços,
Sara

Nova Cartilha das PANCs: GVC-UFRGS!

Bom Dia!

Material Novo sobre as PANCs (Plantas Alimentícias Não-Convencionais) do Rio Grande do Sul bem legal, do Grupo Viveiros Comunitários, UFRGS, pessoal da Biologia entre outros amantes e pesquisadores dos temas afins.

Página do Grupo no Facebook: clique aqui

Parabéns pro pessoal: Marília Elisa Becker Kelen, Iana Scopel Van Nouhuys, Lia Christina Kirchheim Kehl, Paulo Brack e Débora Balzan da Silva (Organizadores), orientados pelo Prof.Dr.Paulo Brack, um grande multiplicador, defensor e pesquisador das PANCs!

cartilha-Pancs Para baixar: Cartilha-PANCs_GVC_2015

Boa Leitura, Boas Plantações, Boas Comidinhas e Bom Uso!

😀

Abraços,
Sara

Livro das PANCS!!! Do Kinupp e do Lorenzi :D :D :D

Bom Dia, Pessoal!

Saiu o livro das PANCS!!! “Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PANC) no Brasil. Guia de indentificação, aspectos nutricionais e receitas ilustradas”, do Valdely Kinupp e do Harry Lorenzi (2014), Ed.Plantarum.

O meu exemplar chegou semana passada! 😀 😀 😀

O livro é lindo, as fotografias são de boa qualidade, é capa dura, tem 768 páginas de muiitas plantas, com a parte botânica, usos e receitas. Recomento muiito comprarem e divulgarem! É a riqueza do nosso país (e planeta), a AgroBiodiversidade esperando para ser (re)descoberta, valorizada, respeitada!

A imagem do livro tirei do site da Ed. Plantarum (clique aqui) e do Valdely com o livro, roubei do Blog Come-se (clique aqui).

Agora fica mais fácil sair pela rua identificando os matinhos que surgem no caminho.

Abraços e bom proveito!
Sara

Documentário “Agroflorestar, Semeando um mundo de amor, harmonia e fartura ” (2013)

Boa Noite!

Recomendo fortemente  o documentário “Agroflorestar, Semeando um mundo de amor, harmonia e fartura”

video-Agroflorestar-300x259

Publicado em 11/05/2013

“Agroflorestar, apresenta a fascinante trajetória dos agricultores de Barra do Turvo, no Vale do Ribeira. Originalmente trabalhando com a derruba e queima, suas terras já estavam desgastadas. O filme mostra como a introdução do sistema agroflorestal revolucionou a vida de mais de 100 famílias. Hoje quase 17 anos depois do inicio do Cooperafloresta, através do projeto Agroflorestar, as ideias de uma agricultura florestal sustentável chegaram ao MST, aonde em áreas degradadas pela monocultura, florestas de alimentos estão sendo plantadas. Como Seu Zaqueu disse no filme: “o MST tem a tecnologia de ajuntar gente, e a Coopera tema tecnologia de ajuntar plantas.” De forma positiva o filme demonstra como podemos ter uma alternativa sustentável para a agricultura, sem destruir o planeta.”

Para assistir: clique aqui

Abraços,
Sara

Produção Agroecológica no Sítio Capororoca (16/04/2013) – Programa Rio Grande Rural

Vídeo da Emater no Sítio Capororoca

Publicado em 16/04/2013

“A zona rural de Porto Alegre tem um núcleo forte de produção Agroecológica. Uma das propriedades rurais é o sítio Capororoca, que tem uma produção diversificada, e faz integração e troca de experiências com uma rede internacional de agricultura orgânica.”

Para ver: clique aqui

Abraços,
Sara

“Plantas ruderais: o mato que alimenta, protege e embeleza o ambiente” (PALEARI, 2012)

Boa Tarde,

Recomendo o Guia Alimentar “Plantas ruderais: o mato que alimenta, protege e embeleza o ambiente”  da bióloga Lucia M Paleari, professora do Instituto de Biociências (IB), Campus de Botucatu (Unesp).

A publicação é da Rede-SANS (Rede de Defesa e Promoção da Alimentação Saudável, Adequada e Solidária):

guia-alimentar-plantas-ruderais“Várias plantas que crescem em terrenos baldios ou em meio a lavouras são denominadas popularmente de mato ou plantas daninhas, no entanto, as espécies podem desempenhar papel importante à saúde e ao meio ambiente, segundo PALEARI (2012).

‘Em determinadas circunstâncias, essas plantas, cientificamente conhecidas por plantas ruderais, são a única proteção que certos solos possuem contar a erosão provocada por ventos e chuvas que carregam a camada fértil, rica em nutrientes que os recobre, para dentro dos rios e mares’, explica a bióloga.”

O Guia apresenta as características, os aspectos nutricionais, a culinária e as propriedades medicinais de 10 plantas ruderais e,  ao final, algumas receitas.

As plantas são:

caruru, beldroega, serralha, emilia, picão-roxo, picão-preto, picão-branco, quebra-pedra, taioba e ora-pro-nobis.

Para acessar o Guia “Plantas ruderais: o mato que alimenta, protege e embeleza o ambiente”: clique aqui

Abraços,
Sara

“I Mostra Biodiversidade pela Boca: Frutas Nativas e PANCs”: foi um sucesso!

Bom Dia!

Ontem foi a “I Mostra Biodiversidade pela Boca: Frutas Nativas e PANCs” (abaixo, cartaz da Mostra), pena que não consegui divulgar aqui antes. A Mostra aconteceu na Feira da Cultura Ecológica, que acontece aos sábados pela manhã (e na quarta-feira à tarde), na EMATER (bairro Menino Deus – PoA). A Mostra foi promovida pela Ong InGá em parceira com a Feira da Cultura Ecológica e com apoio do MAPA (ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

A Claudine, amiga querida e uma das organizadras (Ong InGá), convidou-me para participar, com meus pães de PANCs (Plantas Alimentícias Não-Convencionais) – eu já tinha vendido para os Grupos de Agroecologia, no evneto sobre as Frutas Nativas, que ocorreu em novembro/2012; ela mesma tinha me convidado. Aceitei o convite: encomenda de 20 pães! Levei pães de ora-pro-nobis (Pereskia grandiflora), bertalha-coração (Anredera cordifolia) e de polpa de goiaba.

E adorei participar da Mostra!

Não consegui tirar fotos da Feirinha, mas a Lari (outra amiga querida), me fez a gentileza de fotografar.

Fotos da Lari: clique aqui

A Mostra foi um sucesso, várias pessoas passaram por lá, trocamos informações, saberes, dicas! Que venham outras! Vamos divulgar a Biodiversidade e as Delícias da Natureza e de Nossa Casa (Planeta Terra)!!!

biodiversidade-pela-boca   Foto: Lari

Mais um pouquinho sobre a ora-pro-nobis (Pereskia spp.) – Cactaceae

Boa Noite, Pessoal

Foi publicado hoje no Blog Estágio Sítio dos Herdeiros, uma reportagem sobre a ora-pro-nobis, na culinária mineira. Tem uma receita de guacamole, parece muito bom!

O gênero Pereskia é um cactus (família Cactaceae) e tem como principais espécies a Pereskia grandiflora e a Pereskia aculeata, ambas de sabor muito agradável e muiito ótimas para culinária!

Aqui, em PoA, a P.grandiflora está em florada e a P.aculeata em frutificação.

Para ver o vídeo: clique aqui

Até o final de semana, publico mais fotinhos dessas duas espécies! E quero ver se arranjo um tempinho pra testar mais umas receitinhas tb!

Abraços,
Sara

“Edible Plant Project” – Projeto Plantas Comestíveis

Boa Tarde, Pessoal

Estou, aos poucos, retomando o blog. Estava procurando mais informações sobre as PANCs, hortaliças espontâneas, plantas comestíveis, wild edible food, enfim, e achei um site de um projeto bem interessante, na Flórida, EUA, o

“Edible Plant Project”.

Sobre o projeto, da página deles:

The Edible Plant Project (EPP) is a volunteer-based, 501c3 nonprofit organization working to promote edible landscaping and local food abundance in North Central Florida. The goal of the EPP is to create positive alternatives to the unsustainable food system in this country.”

[Tradução literal: “O Projeto de Plantas Comestíveis (PPE – em inglês) é baseado em trabalho voluntário, a organização 501c3 sem fins lucrativos trabalhando para promover o paisagismo comestível e abundância local de alimentos no norte da Flórida Central. O objetivo do EPP é criar alternativas positivas para o sistema alimentar insustentável neste país.”]

O site tem boas informações sobre as plantas e, junto da explicação de cada uma, tem o nome científico, o que ajuda bastante, já que nome popular varia conforme cultura/localidade. Tem várias plantas que temos por aqui e tem links interessantes para cada uma.

Para acessar o site: clique aqui

Recomendo dar uma olhada!

Abraços,
Sara